SEJA NOSSO APOIADOR, CONTRIBUA COM O NOSSO TRABALHO.

sábado, 26 de outubro de 2019

Bolsonaro estreita laços com a China para exportar melão de Mossoró

A China deve importar melão produzido no Brasil, o que pode gerar na região Oeste do RN cerca de 10 mil empregos. Em compensação, o Brasil vai importar pera chinesa. O anúncio foi feito pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina.


Esse acordo com os chineses era aguardado pelo mercado há 5 anos, o governo Bolsonaro conseguiu fechar em em dez meses de gestão.

A última etapa para se concluir este avanço é a vinda do Primeiro Ministro da China para assinar o acordo comercial, que liberará as exportações para o mercado chinês do nosso melão, durante sua visita oficial ao Brasil.

“Muitas coisas estão caminhando com muita celeridade. No caso das frutas, devemos ter o anúncio da abertura de melão do Brasil para China e de pera da China para o Brasil. Temos mais habilitações que devem acontecer no intervalo de dias entre a visita do presidente Bolsonaro à China e a visita do presidente Xi Jinping ao Brasil”, afirmou Tereza Cristina.

A abertura do mercado chinês foi comemorado pelo presidente do COEX-RN e Abrafrutas, Luiz Roberto Barcelos, e de associados e parceiros. "este sonho finalmente se tornou uma realidade que beneficiará grandemente o nosso Rio Grande do Norte através de geração de empregos, distribuição de renda e desenvolvimento em diversas áreas." 

Visita

Os trâmites para a abertura do mercado chines para o melão mossoroense tiveram início durante agenda da ministra Tereza Cristina a Mossoró em fevereiro. Ela visitou uma das fazendas da Agricola Famosa, na região da Maísa, e conheceu todo o processo de produção do melão.

Durante o "Momento PSL/RN", no Hotel Thermas, o General Girão, juntamente com o médico Dr. Daniel, presidente do PSL, Mossoró, entregaram à Ministra Tereza Cristina um documento com o diagnóstico de diversos setores do mercado produtivo do Estado. Neste caderno foram expostas as potencialidades e os óbices que a produção de cada setor citado enfrenta no RN.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário