Moro aparece na lista das 50 personalidades da década do Financial Times

O ministro da Justiça, Sergio Moro, está na lista (para assinantes) das 50 pessoas mais influentes da década elaborada pelo jornal inglês “Financial Times“. A seleção foi divulgada nesta 3ª feira (24.dez.2019).


Na publicação, o jornal cita a atuação de Moro como magistrado e “dúvida sobre a independência como juiz”. Também fala sobre a entrada na vida política e possível corrida presidencial.

“De seu cargo de juiz em uma cidade da província brasileira, Sérgio Moro liderou uma investigação de corrupção que abalou o establishment político da América Latina. A investigação sobre propinas pagos pelo grupo Odebrecht levou à prisão do ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva e implicou 4 ex ou atuais presidentes do Peru – 1 se matou antes da polícia prendê-lo. No ano passado, Moro se tornou ministro da Justiça no governo do presidente Jair Bolsonaro – uma mudança na política que colocou em dúvida sua independência como um juiz, mas que poderia prepará-lo para uma corrida na presidência“, afirma o Financial Times.

A lista das 50 pessoas da década elaborada pelo jornal inclui políticos, executivos influentes, e personalidades que se destacam no cenário da tecnologia, cultura, mídia, ciência e esporte.

“A segunda década do século XXI começou com medidas de austeridade para lidar com a desaceleração causada pela crise financeira global e terminou com governos populistas e regimes não liberais em todo o mundo. As 50 pessoas da década do Financial Times refletem esses desenvolvimentos, com políticos que mudam o jogo e executivos influentes do setor bancário e da indústria. A explosão e domínio de computadores e smartphones em todos os aspectos de nossas vidas é evidente no número de figuras da tecnologia. E em uma década em que os indivíduos se mostraram capazes de se empoderar diante de instituições estabelecidas há muito tempo, aqueles que fizeram avanços na ciência, quebraram novos recordes esportivos, protestaram bravamente contra a perseguição e gritaram sobre o assédio institucional não poderiam ser esquecidos“.

Moro aparece na lista com políticos como Barack Obama, Vladimir Putin, Emmanuel Macron, Angela Merkel e Mohammed bin Salman. Também aparecem personalidades como Edward Snowden, Malala Yousafzai, Serena Williams, Kylie Jenner, Elon Musk, Lionel Messi e Cristiano Ronaldo.