Onyx sai da Casa Civil e vai para Cidadania; general assume o posto no Planalto

O ministro Onyx Lorenzoni deixou a chefia da Casa Civil. Será substituído pelo general Walter Braga Netto. Onyx vai para o Ministério da Cidadania, tomando o lugar do atual ministro Osmar Terra.



Braga Netto –chefe da intervenção federal no Rio de Janeiro em 2018– foi convidado para a Casa Civil na 4ª feira (12.fev). Mas, com o vazamento da informação, Bolsonaro decidiu adiar o anúncio por 24 horas. Onyx, por sua vez, passou os últimos momentos com 1 discurso que ficaria no cargo. Deputado pelo DEM do Rio Grande do Sul, Onyx foi aliado de 1ª hora do presidente.

Da parte de Osmar Terra, inicialmente foi sondado sobre se aceitaria ser embaixador do Brasil. Pensou-se na Argentina. Mas Terra demonstrou que não queria esse prêmio de consolação, pois, como Onyx, tem mandato e pode voltar para a Câmara. É o que o ocorreu. O problema é que 1 deputado ressentido atrapalha, principalmente depois de ter passado 1 tempo na frigideira.

Braga Netto em entrevista à imprensa durante o governo Temer. O general comandou a intervenção federal no Rio de Janeiro


O convite a Braga Netto para a Casa Civil recebeu o aval dos ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Augusto Heleno (Segurança Institucional). Braga Netto, Ramos e Bolsonaro são contemporâneos da Aman (Academia Militar das Agulhas Negras), das turmas 1979, 1978 e 1977, respectivamente.

Com Braga Netto, agora existem 3 generais-ministros ao lado de Bolsonaro no Planalto. Além do próprio Braga Netto, os titulares da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e da Segurança Institucional, Augusto Heleno. Há 1 movimento simbólico do presidente em direção aos quartéis, o que pode significar maiores dificuldades na relação com o Congresso.

Postar um comentário

0 Comentários