Teich diz que não haverá ‘medida intempestiva’ contra isolamento social

O ministro Nelson Teich (Saúde) afirmou nesta 2ª feira (27.abr.2020) que a pasta avalia a possibilidade de realização de jogos de futebol organizados pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol) sem público. De acordo com ele, não há definição sobre o tema, mas há estudo sobre iniciativas que poderiam “trazer uma rotina 1 pouco melhor para o dia a dia das pessoas”.


Ele declarou que não haverá nenhuma “medida intempestiva” sobre ações de isolamento social adotadas pelos Estados e municípios no combate à covid-19. Mas também disse que há diferenciações na forma de disseminação da doença em cada região do Brasil e que são necessárias medidas “não lineares” no enfrentamento da pandemia.

Em apresentação sobre a evolução do número de casos e mortes pela doença no país, Teich destacou que o pico da doença será diferente em cada região.

Disse que, por isso, haverá definições diferentes para cada localidade, visando a manutenção de serviços essenciais com o foco de garantir a infraestrutura necessária para o enfrentamento à covid-19. Ele disse não ser “razoável” estabelecer 1 período de maior infecção em todo o território nacional.

SECRETÁRIO-EXECUTIVO

Anunciado como secretário-executivo da Saúde, o general Eduardo Pazuello enfatizou que é preciso ter medidas diferenciadas de acordo com o grau de infecção em cada localidade do país.

Em seu 1º discurso, disse que é mais fácil para a equipe atual tomar decisões sobre as políticas a serem adotadas, uma vez que as informações se tornam mais precisas. “Passamos a entender melhor como que funciona a contaminação. Do que dá certo e errado”, afirmou Pazuello.

A ideia do governo é que ele cuide das questões “logísticas” do Ministério, enquanto o ministro deve focar em assuntos “técnicos”.