Ao contrário de outros encontros, em que a temperatura ferveu e houve bate-boca e troca de acusações, a reunião virtual entre o presidente Jair Bolsonaro e os governadores ocorreu em um clima de cordialidade na manhã desta quinta-feira (21).


O governador paulista, João Doria, um dos maiores antagonistas de Bolsonaro nos últimos tempos, deu o tom do armistício. “O Brasil precisa estar unido para proteger todos os brasileiros”, afirmou, durante seu pronunciamento. “Ninguém ganha uma guerra, principalmente os mais humildes”, acrescentou.

Doria fez um gesto explícito em busca da pacificação do conturbado relacionamento com o Palácio do Planalto, ao encerrar sua fala com um “vamos em paz, presidente. Este é o melhor caminho.”
Sanção

Davi Alcolumbre, presidente do Senado e que também participou do encontro, lembrou que faltam apenas alguns detalhes técnicos para a sanção.

O pacote de socorro a Estados e municípios é estimado em R$ 60 bilhões, e pretende compensar a queda da arrecadação de impostos causada pela freada econômica que vem na esteira da pandemia de coronavírus.

Ao encerrar o encontro, Bolsonaro reforçou a intenção de pacificar as relações com o Congresso e os governadores. “Vamos fazer desta reunião não só uma vitória nossa, mas de todo o povo brasileiro.”

Bolsonaro também se mostrou bastante cordial ao agradecer a participação de Doria. O presidente afirmou que vai sancionar a ajuda aos Estados, aprovada pela Câmara e pelo Senado, o mais rápido possível.